O processo ensino aprendizagem

Articular teoria e ação não é uma tarefa fácil, entretanto, este tem sido o caminho possível para que o ato de ensinar e aprender sejam realizados com compromisso. É a abordagem teórica sócio-interacionista, sobre desenvolvimento e aprendizagem, que sustenta a concepção de aprendizagem da escola, isso porque é esse pilar teórico que vê o sujeito na sua totalidade  sem marcas separatistas, entre sujeito objetivo e sujeito subjetivo.Todavia reconhecemos que uma única abordagem não é suficiente para explicar toda a complexidade do desenvolvimento humano. Deste modo,estamos sempre dialogando com outros referenciais.

O processo ensino-aprendizagem é, portanto, um processo relacional da pessoa com o conhecimento e das pessoas entre si. Neste processo acontece a reconstrução e atribuição de novos sentidos aos conhecimentos já criados pelas outras pessoas. A aprendizagem deve estar a serviço de conquistas de conhecimentos que possam se converter em ferramentas que promovam o desenvolvimento humano, atendendo assim as necessidades e peculiaridades de cada pessoa. A pessoa que ensina tem de estar comprometida com a existência humana e disponível para o diálogo com a pessoa que aprende, considerando os aspectos cognitivos e afetivos de ambos envolvidos no processo.

O processo ensino-aprendizagem, portanto, é o próprio processo de constituição do ser humano.
(Carmo, 2002:20-21).

Operacionalização da proposta pedagógica

O Núcleo – Aprendizagem e Desenvolvimento propõe desenvolver um programa específico para o atendimento de alunos com necessidades educacionais especiais, que apresentam um déficit cognitivo. A nossa escola está consoante com o capítulo VI, artigo 58, especificamente com o § 2º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de No.9394/96, em que apregoa: “O atendimento educacional será feito em classes, escolas ou serviços especializados, sempre que, em função das condições específicas dos alunos, não for possível a sua integração nas classes comuns de ensino regular”. O programa abrange os âmbitos da escolaridade e da formação profissional, procurando evitar a presença de um hiato entre eles, oferecendo, assim, oportunidade para que o aluno possa vir a assumir sua posição na sociedade.

Estrutura curricular

Âmbito Pedagógico

ENSINO FUNDAMENTAL – BASE NACIONAL COMUM

• Língua Portuguesa/Linguagem Oral
• Matemática/Operações Cognitivas
• Ciências (Meio Físico e Natural)
• História e Geografia (Realidade Social e Política)
• Educação Física(Corpo e Movimento)
• Artes (Ateliê).

PARTE DIVERSIFICADA

• Informática (Atividades Cognitivas – Tecnologia) 

• Educação Alfacorporal

• Laboratório Corporal

 

Âmbito Profissionalizante

A) FORMATO DO CURSO

A proposta da Educação Profissional deve manter consonância com os princípios educacionais do Ensino Fundamental respeitando, portanto, a condição de SER do nosso aluno com suas reais possibilidades.

Para tanto, é necessário que os cursos oferecidos considerem desejos, aptidões, interesses, possibilidades cognitivas e sócio-afetivas de cada aluno. Entende-se que é necessário a despadronização dos serviços existentes no passado nesse âmbito, quais sejam as Oficinas Protegidas de Trabalho.

Os cursos são organizados considerando QUEM deve aprender e não O QUE deve ser ensinado, por conseguinte a estrutura e os conteúdos de cada curso pretendem possibilitar que, a cada aluno, seja assegurado o direito do atendimento de suas singularidades.

A organização flexível dos cursos se justifica, na medida em que a escola tem por finalidade oferecer programas de Educação Profissional que garantam a ampla acessibilidade formativa dos alunos, viabilizando a eles autonomia para viver sua vida, porém realizando atividades de trabalho que sejam compatíveis e respeitem as peculiaridades dos mesmos.

OBJETIVOS

Possibilitar o desenvolvimento de competências e atividades individuais que assegurem ao aluno, qualificação para o trabalho.

PROCEDIMENTOS

O ingresso do aluno no curso de Educação Profissional acontecerá quando aluno, família e escola entenderem que o aluno já pode vir a se beneficiar desta aprendizagem.

– Discutir com o aluno e sua família desejos, interesses e possibilidades para que se possa fazer um levantamento das aptidões, e assim, construir o perfil do trabalho no qual ele será qualificado.

– O currículo, o conteúdo e a metodologia de cada curso serão construídos a partir da realidade objetiva do aluno.

– O curso de Educação Profissional é desenvolvido no período vespertino.

– As aulas podem ser individuais, em duplas, ou até mesmo em grupos, a depender do cargo em que o aluno será qualificado.

– O curso de Educação Profissional está constituído para atender não só os alunos do Núcleo – Aprendizagem e Desenvolvimento, mas também alunos da comunidade.

Composição dos grupos

Os grupos são formados por no máximo 8 (oito) alunos, sendo a proximidade do desenvolvimento cognitivo, social e afetivo, o critério norteador para a organização dos agrupamentos.

Critério de avaliação

A avaliação do processo ensino-aprendizagem será realizada de forma contínua, envalecendo os aspectos qualitativos, respeitando o ritmo individual de cada aluno, considerando também, o aluno em seus aspectos sociais, afetivos e cognitivos.

O princípio teórico que orienta a forma de avaliação do processo ensino-aprendizagem, pauta-se no referencial sócio-histórico (Vygotsky) considerando o seguinte conceito do autor (zona de desenvolvimento proximal é a distância entre o nível de desenvolvimento real e o nível de desenvolvimento potencial. O nível de desenvolvimento real refere-se ao que já foi aprendido pelo aluno, ao conhecimento já consolidado, portanto, não precisa de ajuda do outro, pois já é capaz de fazer uso das noções aprendidas de forma autônoma. O nível de desenvolvimento potencial refere-se ao que o aluno é capaz de fazer, se tiver ajuda de outra pessoa, mais experiente, permitindo que o aluno tenha oportunidades de compartilhar das diversas experiências, adquirindo meios para realizar tarefas diversas).

A avaliação constitui-se também, em instrumento para reorientar a prática educativa.

Reuniões

Ao final de cada semestre, serão agendados encontros entre pais e profissionais, objetivando a troca de informações a respeito do trabalho realizado pelo aluno.

A equipe está aberta para receber os pais sempre que houver necessidade. Solicitamos apenas agendamento prévio.

REUNIÃO COM PROFISSIONAIS DA COMUNIDADE

A equipe do Núcleo – Aprendizagem e Desenvolvimento acredita ser importante manter encontros regulares com os profissionais que acompanham nossos alunos, buscando um diálogo constante.

Como podemos ajudar?

Para dúvidas, visitas e mais informações!

Fale Conosco
11 3845 9988 | 11 3044 3744 | Cel: 97146-2479
R. Domingos Fernandes, 556 - Vila Nova Conceição, São Paulo – SP